Esse texto é pra você que tá confusa: você não é Designer, mas é UX

Você vai entender logo no começo… mas eu precisava desabafar!

Sim, um pequeno grande texto pra uma grande resposta: por formação eu não sou designer, você não é designer, mas somos todos UX!

É essa a conclusão que chego após 2 anos negando e trabalhando e negando de novo e, finalmente aceitando que, se tratando de experiência do usuário, o termo ‘design’ aparece em seu sentido maaaaais puro:

Design: “diˈzajn”:

  1. disciplina que tem por objetivo a criação de objetos ou produtos cuja forma se adeque o mais perfeitamente possível à função para que se destinam, conciliando critérios estéticos, técnicos, etc.
  2. aspeto exterior de um objeto; configuração física
  3. plano; projeto; criação

design in Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003–2018.

Ou seja: Design quer dizer projeto, design é projetar, realizar, organizar, planejar. Projetos de design é na verdade uma redundância: Projeto de Projeto. (Rodrigo Portillo, https://velhobit.com.br/design/o-que-e-design.html)

Sim, eu me pergunto às vezes por que não dei uma olhada no Google antes… Mas a vida passa e me tornei uma daquelas pessoas que entendeu essa palavra como sinônimo somente de expressão artística, para definir qualquer profissão e trabalho cujos fins são sempre em com nomes em inglês e mais “bonitos” do que eu conseguiria desenhar.

Ok. Agora esbarramos no queridinho, tendência de 2017/2018: UX… Design!

Talvez eu tenha feito o caminho contrário, mas dessa vez eu fui mais esperta: joguei no Google e li muitas possibilidades dessa tal Experiência do Usuário. Surpresa: Por queeeeee esse termo vem (quase) sempre atrelado ao tal Design?

Vamos lá de novo: vendo a parte literal, UX significa User Experience, que significa Experiência do Usuário. Beleza? Beleza.

O que falam por aí é que “(…) foi Don Norman que popularizou esse termo, enquanto trabalhava na Apple nos anos 90, no mesmo tempo em que Jakob Nielsen escreveu as famosas 10 heurísticas de usabilidade (isso é pra outro texto, pf), ainda usadas hoje.” (https://www.organicadigital.com/seeds/o-que-e-ux/)

Partindo do que Don Norman traz: UX é o que um usuário sente ao utilizar um produto, sistema ou serviço, equilibrando aspectos práticos, experienciais, significativos e valiosos de interação. 😀

E isso desenhado por um Designer deve ficar muito bonito… Mas pensado por mim, TAMBÉM!!

“Ok, mas sério que você não tinha percebido isso antes?”

Nãaaaao, não tinha. Não só não tinha como parametrizava meu trabalho de acordo com as maravilhas visuais que aparecem quando se digita UX Design no Google. E claro, isso me frustrava, mas também dava fôlego pra estudar mais.

Acabou a última frase com clichê. É só isso então? Pode fechar?

Hm. Se você tiver 2 ou mais faculdades — design, comunicação, engenharia ou TI – já pode ir, porque acho que você entendeu, né?

Se não, fica aqui que vou te falar mais uns clichês do tipo ‘sempre precisamos aprender maisszZZz’. Só que aqui é real. Quando se coleciona profissionais em um só, a UX acaba, vai junto por água abaixo as expectativas positivas, as surpresas e necessidades do seu usuário.

Queria deixar mais um clichê: minha grande surpresa nesse tempo todo seja perceber que os designers por formação são sensacionais por sua incrível capacidade de expor visualmente tudo o que guardamos só pra nós — e, óbvio, pelo esforço e muito estudo para saber fazer isso.

E aí entra todo o resto: o desenho é importante sim, o desenho do produto final então nem se fale! Mas tooooodo o processo que envolve chegar nestes pontos, dá pra fazer com uma caneta, um papel, uma boa arranhada no Photoshop 5! x)

Falou demais, mas cadê a Comunicação em UX que não achei?

É aqui que entra o poder de todas as metodologias participativas. Anota aí: definição de produtos, facilitação em grupos, múltiplas interpretações do duplo diamante do design thinking; criar e gerir um planejamento participativo, colaborativo.

É pra quando se definem os fluxos, se arquiteta informações, cria fluxos de conversas e personas (sem falar na especialização no poder da empatia). É na hora daquele grupo focal, da organização de ideias, da proposta de comunicação direcionada (ou integrada)…

Ufa!

Tudo isso na verdade só pra falar, que se um dia aparecer por aí pra você uma vaga de UX designer e você não tiver formação de design, você pode prestar! (Se você for foooda em experiência do usuário, claro!)

… Mas se você me perguntar: todo projeto fica mais fácil se tiver um bom designer do lado… E um engenheirx, e um TI, e um marketeirx, e um publicitárix, um roteiristx, um facilitadorx, um… #dreamteam

“Esse texto é pra você que tá confusa: você não é Designer, mas é UX” Posted first on ” UX on Medium “
Author: Bruna Guerreiro

Author: Pawan Kumar

Leave a Reply

Close Menu
%d bloggers like this:
Skip to toolbar